Fabrício Barbosa

Depoimento de Fabrício Barbosa

Olá! Sou ateísta há tempos e venho fazer alguns comentários que creio que sejam pertinentes. 
Sempre fui uma pessoa muito crítica com relação a tudo, nunca aceitei nada por aceitar. Característica essa que se definiu mais com minha graduação em História. Após estudar fundo processos de legitimação religiosa, creio que para mim, a incredulidade sobre esse tema seja um processo irreversível.
Apesar de minha incredulidade, respeito quem pratica sua religião e não teço comentários maldosos a respeito das opções das pessoas. É esse respeito que sinto que falta por parte das outras pessoas para com minhas opções.
Há poucos dias, estava lendo o livro ” Deus não é grande” de Christopher Hitchens no trem entre São Leopoldo e Porto Alegre. Como demorei 3 dias para lê-lo já estava me acostumando aos olhares curiosos das pessoas quando viam o referido título. No entanto, não estava preparado para a reação de duas pessoas que me insultaram fortemente na saída da estação. Se eu lhes desse disposição, teríamos saído no soco. No entanto, sou pacífico, e não retruquei.
Fora esse episódio máximo, existem ainda os preconceitos diários. As pessoas que tentam nos converter. Os amigos que não nos entendem. Os familiares que se afastam. Isso tudo é triste e lamentável. Apesar de sermos ateus, acreditamos no amor e na família como pilares para a vida.
Enfim, só queria mesmo deixar o registro de quanto me indigna ter de ver esses “cristãos” indo contra algumas premissas básicas da própria religião. E também agradecer ao apoio que sinto receber sempre que leio os posts da ATEA.

Cátima Silvana Scodro

Depoimento de Cátima Silvana Scodro

Boa tarde!
Sempre leio as publicações da ATEA, pois sinto como se estivesse me desabafando junto. Nunca fui uma pessoa religiosa e na verdade nunca pensei muito sobre religião. Sou ateia assim como minha filha de 16 anos, meu filho de 17 tem tendências agnósticas e meu marido é católico não praticante e não temos problemas nenhum com isso aqui em casa. Eu e meu marido nunca influenciamos nossos filhos quanto a isso, tanto que eles começaram a fazer catequese por influência de minha sogra, eu não os impedi e eles desistiram sozinhos. Infelizmente minha profissão não permite que eu saia expondo minha “des”crença por aí, sou professora de Educação Infantil e se eu disser “não acredito em deus” os pais ouvirão “devoro criancinhas”. Então quando as pessoas me dizem: Fique com deus ou vá com deus eu simplesmente fico em silêncio e quando me perguntam se acredito em deus respondo “respeito você”. Sou formada em Letras e já fui impedida de continuar como professora substituta em uma escola por me recusar a dar aulas de religião, aleguei que não poderia ensinar, pois não dominava a matéria e a resposta foi “ensine qualquer coisa que você aprendeu na igreja”. Eu disse que não frequentava a igreja, mas que tinha frequentado a Universidade e que não acreditava em deus mas na Língua Portuguesa. Isso me custou o emprego mas me deu uma sensação indescritível. Me pergunto porque a maioria das pessoas de crenças diferentes não conseguem vivem em harmonia? Em minha casa parece ser tão fácil…
Obrigada ATEA!

Filipe de Andrade

Depoimento de Filipe de Andrade

Olá, Meu Nome é Filipe, Tenho 22 Anos, e Sou Biólogo.
Sabe, eu acompanho as Postagens da Atea por amigos meus que São Ateus que compartilham as postagens, inclusive um deles é o Meu Melhor amigo, e nem por isso de forma alguma sinto pena dele, ou critico a forma de pensar dele. Na verdade me impressiono, porque Geralmente todos os Ateus que conheço são Pessoas Inteligentes e Argumentadoras de Conceitos Coerentes e de Alto pensamento reflexivo.
Sou Católico e acho o Preconceito algo extremamente Ridículo neste mundo, já temos Assassinos, Traficantes, e Sequestradores soltos nas Ruas, porque acolher um sentimento e uma perspectiva de ideologia tão mesquinha quanto ao Preconceito contra uma comunidade de Pessoas que souberam elevar seus conceitos Críticos de tal forma a não precisarem a crer em algo, no qual as outras comunidades acreditam que todos devem crer.

Deveras, é lamentável que as pessoas se assustem ao saber de algum amigo ou parente que tenha se tornado Ateu. Eu no meu papel como Biólogo, pelo bem da Sociedade, ao avistar uma ocorrência deste tipo, Não me permito ficar de braços cruzados, logo como Educador levanto meus argumentos e críticas sobre este tipo de atitude abominável. Devo Zelar pela Ética e Respeito com cada Atividade Viva do Planeta.

Bom somente queria expressar o que vejo acontecer muitas vezes aqui, qual pessoas perdem o tempo aqui ofendendo uma comunidade que deve ser respeitada e aplaudida. Principalmente no Brasil, qual o preconceito prevalece de forma lamentável. Lutemos para que um dia isso seja Extinto.
Obrigado.

Juliana

Depoimento de Juliana

Me tornei ateia aos 13 anos, e mesmo assim fui obrigada a me crismar, minha mãe não aceitava o fato de eu não ir a catequese, fiz o que ela quis e nunca mais pus os pés em uma igreja, a não ser quando morre algum parente próximo e levam pra ter a missa de corpo presente, mas também não abro a boca pra responder nada que o padre fala, aquelas babozeiras lá!
Eu moro em uma cidade pequena, e onde é colonizada por poloneses, uma cidade muito católica, aqui o padre manda juntamente com o prefeito, ele quem organiza os eventos da cidade, na quaresma é expressamente proibido ter festas na cidade, e quando tem festa na igreja a cidade tem que parar, um padre que vive pedindo dinheiro, pelo que as pessoas me contam, a igreja da cidade é toda cercada por grades de ferro e tem até portões eletronicos e monitorada por uma empresa de vigilancia,pelo jeito eles não confiam muito na proteção do deus deles!
Em 2008 eu trabalhava em um supermercado da cidade, onde a gerente era uma católica fervorosa, um certo dia ela me convidou pra participar de um evento na igreja, falei não obrigada, ela perguntou porque?perguntou se eu não era católica, falei que não, ela insistiu em perguntar qual era minha religião, falei que nenhuma, então ela falou você não acredita em deus, falei que não.Daquele dia em diante meu emprego virou um caos, ela gostava de mim e passou a me odiar, me perseguir, tudo que eu fazia era errado, ela chegou a me chamar de demônio que queria destruir o mercado, então eu pedi a conta e saí, porque já não suportava mais aquela situação, consegui emprego de representante de vendas de uma empresa de alimentos, e eu tinha que ir vender para aquele mercado, a perseguição continuou, ela ligava na empresa, que não é dessa cidade, e falava que eu não atendia direito, chegou a inventar que eu estava tendo um caso com um dos chefes casados, pra ver se eles me davam a conta, depois descobriram que a amante do chefe era uma mulher casada também, que vivia dentro da igreja!
Resumindo, fui em minha empresa e falei pra eles porque ela não gostava de mim, eles falaram pra mim parar de ir lá, e apenas atender os outros estabelecimentos, e estou na empresa desde então. A gerente preconceituosa ficou doente e foi afastada do mercado, e eles pediram pra mim voltar a atender lá, voltei e estou atendendo lá normalmente e me dou muito bem com todas as pessoas, lógico que tem alguns seguidores dela lá que não gostam de mim, mas também finjo que não os vejo!
Muitas pessoas da cidade me apontam na rua, porque sabem que sou ateia, não escondo isso e deixo bem claro no meu facebook, minha mãe agora aceita e respeita, meu marido também, ele é agnóstico, meus 3 primos e meu irmão mais novo também são ateus, tenho sorte, que estou rodeadas por pessoas que entendem meu ponto de vista, tenho alguns amigos ateus na cidade, mas são poucos mesmo! Meu problema é a familia do meu marido, que são católicos e minha sogra é uma católica fervorosa daquelas que vai todo domingo a igreja e não aceito o fato de eu e meu marido não fazer isso! Tenho uma filha de 4 meses e estou tentando o máximo possivel não batiza-la mais vai ser quase impossivel, porque minha sogra vai começar a terceira guerra se não batizarmos ela,não sei o que fazer!Ainda vou pensar, talvez vou ceder pra evitar brigas!
Essa é um pouco da minha história, queria compartilha-la com os colegas ateus!
Obrigada”

Fonte: https://www.facebook.com/ATEA.ORG.BR/posts/440262866004301

Anonimo

Depoimento anônimo

Olá, tenho 16 anos (não quero que meu nome seja divulgado). De um tempo para cá parei de acreditar nessas bobeiras que a igreja/religião coloca em nossas cabeças. Sou batizada e fiz 1° comunhão, até que fui estudar fora e por pressão da minha família comecei fazer a crisma, acreditava na maioria das coisas até que comecei a pensar por mim mesma e não acreditar em tudo aquilo, eu achava um absurdo eles nós dizerem o que deveríamos fazer e que não devíamos pecar por que iriamos pagar no mármore do inferno e toda aquela conversa. Comecei a perguntar as pessoas de todas as crenças sobre suas opiniões, cada hora eu pensava em uma coisa, e como eu estudo fora tenho uma liberdade maior para pensar por que não tenho a minha mãe decidindo todo o tempo o que devo fazer ou pensar, comecei a ler livros que falassem desse assunto, comecei a ver que tudo se tem um explicação, parei de acreditar em um ser supremo, agora faço tudo que tenho vontade(Claro sempre respeitando as outras pessoas) comecei ter atitudes melhores com o próximo, estaria tudo uma maravilha se não tivesse o preconceito… as pessoas ficam indignadas quando digo que não acredito, já tentei falar aqui em casa e minha mãe simplesmente me disse que eu não tenho maturidade pra saber se isso é certo ou não, eu digo que ela é simplesmente uma ignorante por que ela nunca discute esses assuntos comigo achando que está sempre correta e tem um grande preconceito com pessoas vamos dizer aquelas que não é igual o que a sociedade impõe. Então fico me perguntando o que devo fazer? Sempre fui a ‘rebelde’ (me chamam disso) aqui em casa, isso é por que nunca concordei com as mesmas opiniões deles. Então quando começam a falar comigo sobre esse assunto eu me canso e finjo que acredito(cruzando os dedos, claro). Vim aqui contar isso por que não tem outro lugar para eu me desabafar, por que tudo que eu vejo são pessoas falando deus que deus me salvou, que sem deus eu não seria nada bla bla principalmente no Facebook né? Queria gritar e xingar todas essas pessoas que não pensam e ficam toda nessa alienação de tv e religião, mas depois penso que não é a melhor coisa discutir com pessoas que não tem argumentos. Agradeço a vocês por postarem as verdadeiras coisas assim de alguma forma fazendo as pessoas pensarem ‘É mesmo’ e todas as pessoas que comentam e de alguma forma nos fazem evoluir. OBRIGADO!

Fonte: https://www.facebook.com/ATEA.ORG.BR/posts/441035845927003

M.V.

Depoimento de M.V.

Primeiramente, queria dizer que curto muito os posts da ATEA, apesar de não acompanhar a muito tempo a pagina, ja li muitas histórias e desabafos do pessoal e queria mandar o meu, que mais é uma dúvida.
Tenho 16 anos, nunca fui de me considerar ateu, até porque pra mim era indiferente, mas mesmo assim já tinha em mente que eu não acreditava em deus,
e cada vez mais, ligações com a igreja católica me deixam desconfortável.

Para meu pai, religião é algo que ele deixa pra ultima opção, não se preocupa, porem, com a minha mãe é totalmente diferente, e conversar sobre religião com ela só me deixa mais irritado. Sempre fui um cara normal, ia bem na escola, tinha uma mente aberta para as coisas, e quando comentei com ela sobre não crer em deus, só pude perceber como ela é presa a igreja católica, e que pra ela, eu seria um zé ninguém, pois eu deveria crer em alguma coisa. Depois disso, nem comentei mais sobre nada, tomei minha decisão e fiquei na minha. Só que tem algo que ainda incomoda, o fato dela me obrigar, geralmente, por meio de chantagens a ir a missas, e coisas do gênero: festa natalina/missas de datas comemorativas e etc. e não sei mais o que fazer, se os pais colocam um filho na escola, por exemplo, pra que ele seja inteligente, e abra a mente para o mundo, porque eles teriam uma atitude dessas comigo? De que forma eu posso conversar com eles sobre isso e evitar de ir a esses lugares católicos e tal.. ?
Não aguento mais a religião católica F… a minha vida, e depois ainda tem quem pergunte porque os ateus só criticam os católicos’.. criticam porque influenciam de forma negativa nas nossas vidas o tempo todo, só por isso…
Peço novamente que não divulgue meu nome.

Fonte: https://www.facebook.com/ATEA.ORG.BR/posts/440814965949091

Cássio Gomes Pereira

Depoimento de Cássio Gomes Pereira

Sou advogado, tenho 30 anos de idade e ateu. Ao contrário de muitos por aqui não tenho família fanática, loucos por jesus ou qualquer outra divindade inexistente, tenho sim familiares que acreditam nessas bobagens e que não gostam muito quando coloco em dúvida suas frágeis crenças, mas no geral, todos respeitam meu posicionamento.

O fato engraçado ocorreu uns anos atrás, nunca fiz direito penal, mas de vez em nunca, quando a atuação na área se fazia necessária, o escritório onde atuo prestava assistência aos filhos, sobrinhos de diretores e gerentes de nossos clientes.

Um belo dia, fomos chamados por um destes clientes porque o filho de alguém relativamente importante havia sido preso por tentativa de estupro, e lá fui eu, auxiliar o cidadão a sair do CDP onde estava.

Cara de 20 e tantos anos, boa pinta, chorava o tempo inteiro, se lamentando do que tentou fazer com uma garota na saída de uma balada qualquer, falou que era evangélico, que acreditava em poder superior e que estava arrependido, que tinha sido tentando pelo diabo e que tais acontecimentos jamais iriam se repetir.

Vendo o desespero do rapaz, tentei acalmar, falei que importante era reconhecer o erro e tentar se emendar a partir deste momento, que afinal, era o que ele tinha para se esforçar em cima.

Falei por um bom tempo, acalmei-o, quando indagou: ‘O Dr. acredita em Deus?’. Respondi prontamente que não, que era ateu.

De repente eu era o bandido… O estuprador… Porque a cara que ele me fez jamais vou esquecer… Continuou falando: ‘Não sei se quero um advogado que não acredita em deus para me defender, como pode?’

Olhando bem nos olhos do cidadão respondi: ‘Salvo se teu deus tiver um diploma de direito, sugiro que permaneça comigo como advogado’.

Reparando que fiquei irritado, não comentou mais nada, ficou em silêncio e continuamos a tratar do processo.

Meu nome é Cássio Gomes Pereira, e podem publicar meu nome, eis que falar que sou ateu é tão natural quanto beber água aos meus olhos.

Fonte: https://www.facebook.com/ATEA.ORG.BR/posts/440812549282666

V.N.

Depoimento de V.N.

Olá galera da ATEA, gostaria de compartilhar algo que me aconteceu ontem, mas gostaria de me manter em anonimato. Eu estava assistindo TV, e passava pelos canais religiosos, e pude perceber a quantidade deles, eu contei sete canais. Um absurdo. então eu tentei prestar atenção a um desses canais, e ali varias pessoas davam o testemunho do seu milagre ( que por sinal, milagres que não provam a existência de um deus… algo como, a cura de uma doença após ter ido ao médico, mas a cura é atribuída ao deus, e não ao médico… recuperações financeiras, coisas desse tipo ) Então o pastor me sai com essa pérola “O motivo de crises financeiras são nada mais nada menos, que espíritos malignos enviados por satanás”… Que?! eu surtei. Como pode! isso não é apenas uma extorsão cara de pau… esses pastores, padres, missionários, o que for… estão “estuprando” as mentes e o bom senso das pessoas de uma maneira, que não me surpreende se o povo brasileiro estiver ficando cada vez mais burro! Isso tem que mudar, imediatamente, antes que seja tarde de mais… Espíritos malignos que te deixam em prejuízo, meias e canetas ungidas, dízimos absurdos, exorcismos… isso sem falar na quantidade de pessoas que vão nesses cultos. Pessoas a se perder de vista, cultos dirigidos por Silas Malafaia, Valdemiro, Edir Macedo, R.R Soares, etc. podem se contar pelo menos 1.500 pessoas! talvez mais… O pior de tudo é que isso passa em TV aberta, qualquer um tem acesso a essa programação nojenta.

Outra coisa que gostaria de compartilhar, é como os nossos pais (pelo menos os meus) tem vergonha pelo filho ser ateu… Esses dias eu estava no mercado com a minha mãe, e ela encontrou um colega de trabalho que acabava de perder a mãe por causa do Câncer. Então a minha mãe começou a falar sobre o espiritismo e de como a mãe dele estaria bem no plano dos espíritos e toda essa baboseira… eis que este colega pergunta a minha mãe se ela era espírita, ela diz que sim, ele olha para mim e me pergunta a mesma coisa, eu respondo que não, que sou ateu. A cara dele se fechou, não sabia se estava nervoso ou com medo… minha mãe parecia muito desconfortável… quando chegamos em casa ela me deu um sermão, de como era constrangedor ter um filho ateu e tudo mais. Fiquei extremamente triste naquele momento. Minha mãe não aceita os meus pensamentos… isso machuca demais. Eu apenas concordei e fui assistir TV… Nesses momentos o melhor que se pode fazer é concordar e sair dali…

Um abraço.

Emanoel Reinaldo

Depoimento de Emanoel Reinaldo

Ola ATEA, bom venho aqui para falar de algo que aconteceu ontem comigo. Bom eu estava no centro da cidade, voltando para casa.
Eu peguei um ônibus, entrou um senhor ja de idade comigo, eu passei pela roleta e ele ficou lá tentando passar o cartão dele para liberar a roleta,
bom eu vi que ele ja tava a bastante tempo ali tentando passar o cartão e fui lá para passar para ele.

Bom, passei e falei que ele podia entrar, ele entrou e sentou do meu lado para me agradecer. ele vei me agradercer e teve uma hora que ele disse!
GRAÇAS A DEUS AINDA TEMOS PESSOAS ASSIM NO PLANETA. Eu no momento falei que era ATEU e que não acreditava no deus dele. Na mesma hora ele se levantou, pegou a carteira, tirou o valor da passagem e tentou me dar. Eu não aceitei, ele pego os 2 reais, rasgou e falou que não iria aceitar nada de um ATEU.”

L.S.

Depoimento de L.S.

Eu não sei como falar isso… Mas eu gostaria que não me identificassem. Eu gostaria de falar isso pra ver se outros se identificam com meu infortúnio.

Eu tenho 16 anos, mas minhas dúvidas como ateu começaram cedo… 8 a 9 anos. Eu desde cedo ..bom , na realidade desde sempre estudei em uma escola católica..Imagine o que é um garoto que pergunta sobre a existência de deus com 10 anos? Meu pai principalmente até hoje não admite que eu seja ateu, imagine quando tinha 10 anos? 
Mas tudo piorou quando eu estava na 7ª série… Eu comprara um livro do Richard Dawkings, Deus um delírio , e ia ler no recreio..Cada dia que se passava meu ateísmo ficava mais fundamentado e forte.
Numa sala onde eu tinha poucos amigos e todos católicos , e alguns dos ‘trombadinhas’, se é assim que posso chama-los. Eles nunca gostaram do meu posicionamento nas aulas de religião, que desde tal ano eu era muito contra ensinarem religião e rezar no começo da aula… Até que um dia eles ultrapassaram as barreiras e passaram da agressão verbal para agressão física. Depois da primeira ‘surra’ que levei, parei de ir na aula, e isso tinha apenas 3 a 4 meses de aula.. eu entrava na van, e descia na frente da escola, mas voltava para casa. Tal ação me fez repetir de ano. Meu pai, achou que além de ateu, eu era vagabundo… O que fez eu sair da casa dele e ir morar com a minha mãe , mudei de escola, para outra escola católica, na qual fiz muitos amigos inteligentes e que acabaram se tornando ateu por questionamentos. Hoje faço o 1º ano do ensino médio,.. Sem problemas com amigos… Mas nem minha mãe nem meu pai sabe pelo o que eu passei.

Fonte: https://www.facebook.com/ATEA.ORG.BR/posts/443626709001250



Archives by Month:


Archives by Subject:


Archives by Year:

  • 2018
  • 2017
  • 2016
  • 2015
  • 2014
  • 2013
  • 2012
  • 2011
  • 2010
  • 2009
  • 2008